Da janela daqui onde trabalho, enxergo um morro bem distante de mim. A visão é um convite pra aventura.

Sempre que retiro o olhar da frente do monitor, e páro pra observar um pouco o que está além desses pixel’s, vejo esse morro e prometo a mim mesmo que vou fazer uma visita qualquer dia desses pra descobrir o que tem de interessante lá. Fico imaginando as trilhas, os caminhos e a logística necessária pra essa empreitada. Mas fico só imaginando.

Quando estou de folga nunca me lembro de fazer isso. Nunca me lembro de conseguir uma bicicleta e me aventurar mato e morro adentro.